CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS




Por que participar da Iniciação Científica e Pesquisa na faculdade?

06-02-2020

Bons profissionais, hoje em dia, não se formam apenas com o conhecimento que recebem em sala de aula. Por isso, as instituições de ensino superior de excelência se preocupam em oferecer, na graduação e na pós-graduação,  alternativas de ensino e de aprendizado que levem os acadêmicos a sair dos muros da faculdade e atuar na profissão de forma a contribuir para o próprio crescimento, tanto pessoal quanto profissional. 

É por isso que o Centro Universitário Serra dos Órgãos (Unifeso) investe em planos de iniciação científica e de ações que levam o acadêmico a vivenciar de perto a profissão escolhida, como a iniciação científica e pesquisa: um caminho para quem pensa no futuro da carreira, pois permite o aprofundamento em um tema de interesse, antes mesmo de formar, já ganhado espaço e destaque no mercado de trabalho.

Entre as possibilidades que o Unifeso oferece aos seus estudantes e professores, está a de participar do Plano de Iniciação Científica e Pesquisa (PICPq), submetendo um projeto de pesquisa que, se for selecionado, recebe apoio financeiro para seu desenvolvimento por nove meses, podendo ser renovado por mais nove meses. "O desenvolvimento dos projetos de pesquisa nos permite levar o nome do Unifeso para diferentes cenários, mostrando a importância da instituição no desenvolvimento e aprimoramento discente e docente no âmbito da pesquisa científica. O aluno tem a oportunidade de conhecer os cenários e contextos que envolvem a seriedade de pesquisas éticas e humanizadas, buscando beneficiar a população e/ou desenvolver novas práticas e conhecimentos técnicos em áreas específicas”, notou o professor Nélio Silva de Souza, do curso de graduação em Fisioterapia e professor da pós-graduação em Biomecânica e Terapia Manual. 

Ele teve projetos aprovados nos dois últimos editais do PICPq. Foram eles: “Efeito do medo de quedas sobre o controle postural durante tarefas de imagética motora cinestésica cervical”, nos anos de 2016 e 2017, juntamente com as discentes Caroline Leal Ferreira e Yasmin Santos Motizuki; e “Estudo dos efeitos da imagética motora em pacientes com insuficiência cardíaca”, dos anos de 2018 e 2019, com as estudantes Karoline Assis; Rayanne Dutra; Ketellen Andrade; Bruna Lage e Thayná Pimentel.

Como docente, Nélio avalia que os projetos foram “muito importantes para a minha carreira docente, aprimorando a dinâmica de orientação na condução dos projetos, bem como dos contratempos e imprevistos que podem ocorrer em estudos experimentais. Essa experiência foi, e continua sendo, valiosa no meu aprimoramento profissional enquanto docente que busca uma carreira futura na área de pesquisa científica. Agradeço ao Unifeso por incentivar a pesquisa, estimulando o desenvolvimento docente e discente na construção do conhecimento acadêmico, possibilitando a expansão desse conhecimento ao nível nacional e internacional".



Ainda dá tempo de se inscrever no PICPq 2020-2021

As inscrições para o Edital de Seleção PICPq 2020–2021 foram prorrogadas até o dia 29 de fevereiro de 2020. O Plano apoia os estudantes e os professores dos cursos de graduação e de pós-graduação da instituição no desenvolvimento de pesquisas científicas. Saiba mais aqui



Por Giovana Campos