Combate à violência: UNIFESO lança Liga de Integralidade de Atenção à Saúde  
publicado em: 27/10/17

A Liga de Integralidade de Atenção à Saúde (LIAS) do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) realizou sua cerimônia oficial de abertura no dia 24 de outubro, no Campus Antonio Paulo Capanema de Souza, no Alto, através de um Seminário cujo tema foi pautado nos Direitos da Mulher. Sob coordenação do professor Annibal Coelho de Amorim, da Saúde Coletiva do curso de Medicina, o evento iniciou com as considerações dos convidados à mesa solene de abertura, seguindo com a exibição do programa “Conexão UNIFESO”, coffee break e um debate com os participantes ao final. 

Abertura
Representando o UNIFESO, sentaram à mesa de abertura as professoras Mariana Beatriz Arcuri, Diretora do Centro de Ciências da Saúde (CCS), Eveline Guedes, Diretora Interina de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (DPPE), Selma Vidal, coordenadora do curso de Enfermagem, Andréa Dóczy, representando a coordenação do curso de Medicina, além dos estudantes Marcos Vicente Carlos, representando o Diretório Acadêmico Hamilton Almeida de Souza (DAHAS) e Joseane Santos Alecrim, estudante do curso de Medicina e presidente da Liga, e a jornalista Raquel Oliveira, Chefe de Comunicação. Como representantes da sociedade civil compareceram Isabel Kwiatkowski, vice-presidente do Conselho da Mulher de Teresópolis, a psicóloga Débora Spezanes. 

“As ligas acadêmicas têm importante espaço de desenvolvimento na formação dos nossos acadêmicos, e essa em específico é mais um braço forte para nos ajudar em um dos eixos transversais da formação dos profissionais de Saúde mais desafiadores: o entendimento de quais são os princípios do SUS, com a integralidade do cuidado”, expôs a diretora Mariana. Para a professora Selma Vidal, “ter esta interdisciplinaridade é uma fortaleza do UNIFESO, que estende este trabalho à sociedade”. 

Para a representante do Tecle Mulher, Débora, “apesar da violência doméstica estar em evidência na mídia temos que ter medidas efetivas para o combate, e a Liga será um marco para a criação de uma geração de profissionais conscientes da grande importância da interação entre a Medicina e as questões dos direitos e cidadania”. A ativista Isabel, do Conselho da Mulher, confessou que “um dos nossos grandes sonhos é trabalhar o saber acadêmico com o popular. Essa união é o que esperamos concretizar”. 

Sobre a Liga
A Liga veio a partir do trabalho de conclusão de curso da estudante Joseane Alecrim cujo tema tratou da Violência Doméstica Contra a Mulher. “Diante dos resultados que encontramos percebemos que ainda há muito o que ser feito no município de Teresópolis, tanto quanto em relação aos profissionais de Saúde que atendem essas mulheres, quanto à rede de atendimento que não é bem estruturada. Propomos então a criação da Liga para treinar os profissionais durante a graduação e para quando se tornarem profissionais terem mais sensibilização e capacitação para atenderem estas mulheres”, contou Joseane. Segundo ela, este foi apenas o primeiro passo, agora a próxima meta é criar o Núcleo de Prevenção à Violência (NUPREV) no Ambulatório do UNIFESO, na localidade do Bom Retiro, “que além do atendimento na área de Saúde visa estabelecer uma parceria com os acadêmicos de Direito através do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ)”. 

O professor Annibal Amorim, coordenador da Liga, destacou o relevante apoio dos dirigentes do UNIFESO e coordenadores de curso para este trabalho, “o que mostra uma percepção da importância do tema a ser enfrentado de forma diferenciada, não só com olhar para dentro da Instituição formando e capacitando os profissionais, mas indo além e estendendo os abraços para a sociedade civil”. Dessa forma, ele espera que em breve o espaço do NUPREV esteja funcionando, atendendo não somente mulheres vítimas de violência como também crianças, adolescentes, idosos e adultos de maneira geral. 

Outro objetivo, de acordo com o professor Annibal, é dar atenção às pessoas que cometem a violência. “Não adianta tratarmos da violência sem tratar do agressor. Se não tivermos este espaço de ajuda a estas pessoas (agressores) que foram descuidadas por muito tempo, algo vai faltar neste projeto”, observou, defendendo que “esta é a ideia da integralidade e atenção à saúde: perceber que há um conjunto de questões sociais que contribuem para determinado agravo, como álcool, abandono, pobreza, por exemplo. Por isso contamos com o conhecimento acadêmico somado à representação civil, que nos dá uma escuta qualificada e sensível para estas questões”, concluiu. 

Violência doméstica é pauta do programa Institucional
O lançamento da Liga tratou o tema ‘Violência Doméstica” através da exibição do programa Conexão UNIFESO, que produziu um debate entre as professoras Vera Lúcia de Oliveira, do curso de Direito, e Walney Ramos de Sousa, da Medicina, além das ativistas sociais Laura Mury, representante do Tecle Mulher, e Isabel Kwiatkowski, do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher. “Durante a produção do programa, buscamos sempre assuntos de interesse da população, e um tema de relevância como este não poderia ficar de fora da nossa pauta. Espero que ajude no propósito de empoderar cada vez mais as mulheres, pois foi muito bacana unir as forças da Medicina, do Direito e da sociedade civil neste debate”, justificou a jornalista Raquel Oliveira no evento.