Estudante do UNIFESO vence concurso de monografias da Sociedade Brasileira de História da Medicina  
publicado em: 14/11/17

O Grupo de História da Medicina (GHM) do Centro Universitário Serra dos órgãos (UNIFESO), representado pelo professor Daniel Pinheiro Hernandez, coordenador do Grupo, e os estudantes Cristina Espindola Sedlmaier, Flávio Carrasco Rizkalla dos Santos e Izabela Rodrigues Fonseca, do sexto período do curso de Medicina, participaram do 22º Congresso Brasileiro de História da Medicina, realizado de 26 a 28 de outubro, na Universidade de Caxias do Sul (RS). 

Dentre as atividades, o professor Daniel destacou duas de grande importância no evento. A primeira foi a premiação da estudante Cristina Espindola durante a solenidade de abertura, quando ela recebeu a medalha de primeiro lugar no concurso nacional de monografias promovido pela Sociedade Brasileira de História da Medicina (Prêmio Carlos da Silva Lacaz), com seu trabalho intitulado “Ivolino de Vasconcellos e a História da Medicina no Brasil”. “A estudante Cristina, no ano de 2016, conquistou o primeiro lugar nacional do ‘Prêmio Carlos da Silva Lacaz’ com o trabalho ‘Miguel Couto: Exemplo de Competência e Dedicação à Medicina’. É, portanto, a nossa valorosa bicampeã!”, comemorou o professor Daniel. 

Outro momento especial foi a apresentação do trabalho “Os Caminhos da Epidemiologia na Medicina”, de autoria dos estudantes Cristina, Flávio e Izabela, sob a orientação do professor Daniel. “A exposição oral ficou a cargo de Izabela que, com conhecimento, tranquilidade e didática, foi muito elogiada, demonstrando o grande valor das apresentações feitas no GHM, que servem de preparação e treinamento para participações em qualquer tipo de evento, como se deu neste congresso nacional”, contou o professor Daniel. 

Para ele, “é com orgulho que participamos das vitórias destes estudantes, que, com dedicação e afinco, levam e elevam o nome da nossa Instituição onde quer que estejam e em todo evento do qual façam parte. Orgulho e reconhecimento é o que fizeram por merecer”.