CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS




Em tempos de Covid-19, Inteligência Artificial é aliada dos profissionais de Saúde

30-11-2020

No dia 25 de novembro aconteceu a mesa-redonda “Estratégias integradas entre computação e saúde no tratamento da Covid-19”. O evento, promovido pelo curso de Ciência da Computação, fez parte do V Congresso Acadêmico-Científico do Unifeso (V Confeso) e contou com a participação de especialistas de áreas distintas, que discutiram novidades e estratégias, suas experiências e detalhes sobre o desenvolvimento de métodos e os processos de validação de métodos qualitativos e quantitativos de computação para o combate ao novo coronavírus.

Participaram da mesa-redonda Laion Manfroi, coordenador do curso de Ciência da Computação; Felipe Dias Leal, professor do curso de Farmácia do Unifeso; Rodrigo Siqueira Batista, professor da Universidade Federal de Viçosa e da Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga e professor Oswaldo Jesus Rodrigues da Motta, também da Universidade Federal de Viçosa. A moderação foi feita pelo professor Eugênio da Silva, do curso de Ciência da Computação.

“A área da saúde tem uma infinidade de gargalos que nós, da computação, podemos colaborar com diversas técnicas. A ideia desse evento é debater como nós podemos contribuir para o desenvolvimento de soluções que possam ajudar no tratamento dessa doença que está tão em alta, desde o início desse ano. Mais do que nunca é importante manter as discussões em torno desse assunto. Todas as áreas do conhecimento, e não apenas a área da saúde, estão envolvidas com o tema e empenhadas na descoberta de soluções para esse problema de ordem mundial”, iniciou a fala o professor Eugenio. 

O principal enfoque do discurso do professor Rodrigo Siqueira Batista girou em torno do uso da Inteligência Artificial (IA) no diagnóstico da Covid-19. “Para enfrentar a pandemia de Covid-19, a IA tem sido implantada em vários níveis dos sistemas de saúde, no entanto, ela tem benefícios e limitações potenciais. Dentre as complicações identificadas para o uso adequado de um sistema que pode ajudar na tomada de decisão, estão o fornecimento adequado de dados, tempo para preparar o banco de dados e a formação dos profissionais de saúde, dadas as dificuldades teóricas para propor soluções aos problemas observados”, explicou. Ele ressaltou que essas ferramentas são criadas como forma de apoiar os profissionais de saúde, de auxiliá-los na tomada de decisão, e não tecnologias que vão substituir o trabalho humano.

Já o professor Felipe Dias Leal abordou o uso de métodos computacionais no desenvolvimento de terapias para a Covid-19. “As indústrias farmacêuticas e os laboratórios possuem bancos de dados de moléculas. Uma das formas de se chegar aos tratamentos de doenças é testar essa grande quantidade de moléculas já existente, que muitas vezes não deram certo para outras patologias. Portanto, é comum o uso da modelagem molecular, fazendo com que a gente ganhe tempo. Antes de essas técnicas de modelagem molecular serem produzidas, a abordagem que se tinha para chegar a novos fármacos era o teste empírico. Hoje em dia, com o auxílio do computador, podemos dar tiros mais certos, fazer simulações computacionais e ter a ideia de quais possíveis moléculas seriam mais promissoras do que outras”, contou. 

O professor Oswaldo abordou as questões bioéticas por trás da Covid-19. “Questões relacionadas à vida e ao caráter, nasceram no século XX. Temos um campo importantíssimo de estudo, é um campo transdisciplinar entre as Ciências Biológicas, da Saúde, da Filosofia, do Direito, que investiga as condições necessárias para a administração responsável das vidas humana, animal e ambiental. Sobre a Covid-19, há questões importantíssimas que tangem a Bioética e a Inteligência Artificial. Uma delas diz respeito ao tratamento do paciente em UTI, ou qual paciente terá o tratamento prioritário em uma unidade de terapia intensiva. Como determinar qual paciente tem prioridade quando não há leitos suficientes? É um desafio que a bioética se debruça e tenta auxiliar em eventuais dúvidas e critérios a serem utilizados nesses momentos de escolha. Já com o advento da IA, temos questões importantes a serem resolvidas, que podem ser implementadas com o auxílio da bioética”, expôs o professor. 

 

Vestibular 2021.1 com inscrições abertas para diversos cursos de graduação 



O Unifeso dará aquela força para quem tem o sonho de fazer uma graduação. Os vestibulandos que se matricularem em um dos 13 cursos oferecidos, no primeiro semestre de 2021, terão 30% de bolsa garantidos durante o período de integralização do curso, mantendo as condições estabelecidas no regulamento. Há bolsas de estudo disponíveis também para outras formas de ingresso. As inscrições acontecem de 30 de novembro a 19 de fevereiro e podem ser feitas, gratuitamente, pelo site.

São duas as principais formas de ingressar em uma graduação: via nota do Enem ou Redação On-line, e todo o processo, desde a inscrição até a matrícula, poderá ser feito de casa.




Por Juliana Lila

Outras Notícias





Atendimento On-line