Unifeso - Unifeso obtém de registro de patentes do aplicativo Recicla Terê junto ao INPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS




Unifeso obtém de registro de patentes do aplicativo Recicla Terê junto ao INPI

12-05-2021

Mais uma grande conquista dos estudantes e da coordenação do curso de Ciência da Computação do Centro Universitário Serra dos Órgãos (Unifeso): o aplicativo Recicla Terê obteve seu registro de patente junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). 

Trata-se de uma ferramenta para orientar a população da cidade para uma separação correta do lixo para o programa de Coleta Seletiva do Município, desenvolvida por acadêmicos do curso em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente (SMA) da Prefeitura Municipal de Teresópolis e com a Associação de Catadores de Teresópolis.

O app é de caráter informativo, contendo informações sobre os materiais recicláveis (papel, plástico, vidro e metal), orgânicos, lixo eletrônico, pilhas e baterias e também não recicláveis. O principal objetivo da ferramenta é informar ao usuário a maneira correta de destinar o seu resíduo. Saiba mais aqui.

O professor Laion Manfroi, coordenador do curso, explica que o registro de software “serve para proteger os direitos de quem idealizou e concebeu este software. O valor patrimonial de um programa deve ser muito alto, visto a importância que ele tem e o que ele representa para uma organização”. 

Ele destaca ainda que o cunho social do Recicla Terê é de grande relvância para a cidade, por isso se dá a necessidade de proteger o código fonte, que é a linguagem e os caminhos para ter o aplicativo. “Este é o único instrumento jurídico que é capaz de assegurar, efetivamente, o titular frente à pirataria. O registro de software protege de uma concorrência desleal, de cópias não autorizadas, o uso indevido, entre outras precauções. O registro feito junto ao INPI faz valer esta proteção do software por cinquenta anos, a partir da criação, com abrangência internacional”, explica Laion. 

O professor conta ainda uma curiosidade: não é obrigatório fazer este registro e a maioria dos softwares, atualmente, não têm registro. No entanto, para os estudantes do Unifeso que estão procurando a profissionalização este é um fato muito importante e que pesa muito para os estudantes e professores envolvidos. “Na plataforma Lattes, onde fica o currículo acadêmico, tem uma seção de patentes, e isso conta muito para quem vai fazer um concurso público, por exemplo, porque conta como uma outra profissionalização. É um grande diferencial e chama muito a atenção no currículo”, frisa o coordenador. 

O professor Laion ressalta que o apoio institucional foi fundamental para obter este registro. “É um processo dispendioso, que exige investimento e tempo”, afirma o coordenador. 



Por Giovana Campos

Outras Notícias





Atendimento On-line