CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS




O Privilégio de Darwin e a Lógica da Vida foi um dos temas apresentados na III Biojornarda do curso de Ciências Biológicas

26-10-2018

O biólogo e professor Fernando Fernandez foi um dos palestrantes convidados pelo curso de Ciências Biológicas para participar da III Biojornada, que aconteceu durante o III CONFESO - Congresso Acadêmico Científico do Centro Universitário Serra dos Órgãos. A palestra “O Privilégio de Darwin e a Lógica da Vida”, realizada dia 22 de outubro, foi escolhida pelos estudantes do curso de Ciências Biológicas, mas contou também com a presença de estudantes de Medicina e de Medicina Veterinária.

Fernando Fernandez fez graduação em Ciências Biológicas, é mestre em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas e PhD em Ecologia pela Universidade de Durham (Inglaterra). Atualmente é professor titular do Departamento de Ecologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ) e tem 188 trabalhos publicados. “Eu tenho uma ligação muito especial com Teresópolis. Todos os verões da minha infância foram passados nesta cidade e eu aprendi a gostar de Biologia aqui nessas matas”, contou.

O palestrante começou a apresentação com uma frase do geneticista Hermann Muller, que a proferiu em 1959, ano em que se comemoravam os cem anos de publicação do livro Origem das Espécies, principal obra de Charles Darwin. “A frase é a seguinte: ‘Cem anos sem Darwing já são o bastante’. Assim como acontece com as grandes frases, quanto mais a gente pensa nela, mais a gente percebe a riqueza de seu sentido. Ela fala sobre a obstinada negação da nossa cultura e da nossa sociedade de engolir o que o Darwing tinha a nos dizer”, explicou Fernandez. 

Ele ressaltou que Darwin dedicou 50 anos de sua vida para desvendar a questão de como se formam as espécies. Segundo Fernandez, nunca mais haverá, no ramo da Biologia, uma questão tão importante como esta. “Este foi o privilégio que ele teve e que ninguém mais terá. Porém, temos um outro privilégio que é desperdiçado: o de podermos usar o olhar que ele nos emprestou e vermos o mundo natural de outra forma, de poder entender o porquê de toda e qualquer coisa que está a nossa volta”, ponderou.

Em um mundo onde o apelo ecológico é cada vez maior e a sustentabilidade a melhor solução para que se conserve o que ainda existe de recursos naturais no planeta, o clamor pelo Biólogo se faz ainda mais necessário, como profissional capacitado para lidar com os constantes problemas que surgem e encontrar soluções cabíveis para cada um deles.