CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ORGÃOS




Estudante e egressos de Ciências Biológicas têm pesquisa publicada pelo Instituto Oswaldo Cruz

26-04-2018

A estudante Caroline de Siqueira Lopes e os egressos Wagner Nazário e Lucycleia Bezerra do Nascimento, do curso de Ciências Biológicas do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO), tiveram um trabalho publicado no caderno de resumos do Ciclo de Palestras Internacional de Chagas do Instituto Oswaldo Cruz, evento que visa discutir e refletir sobre avanços e desafios a serem enfrentados na busca de solução para questões relacionadas à doença de Chagas. O estudo, intitulado “Abordagem da Doença de Chagas em Livros de Ensino da Escola Média”, teve como objetivo analisar a abordagem da doença neste público específico.

A proposta da pesquisa surgiu após Caroline ler uma reportagem do egresso Nazário, concedida em 2017 à Revista Radis da editora FIOCRUZ, que apontava a importância das escolas para ampliação do debate em doenças negligenciadas. Ao saber que Nazário também fez sua graduação pelo UNIFESO e que ele desenvolvia pesquisa na área de doenças negligenciadas e aproximação da ciência com a educação, a estudante entrou em contato com ele manifestando o interesse em desenvolver pesquisa monográfica na mesma área.

O egresso Nazário, após se formar no UNIFESO, se especializou em Gestão Sanitária e hoje é mestrando em Biociências pela ENSP/Fiocruz. Para ele, primeiro autor da pesquisa, participar do Ciclo é “uma oportunidade de reafirmarmos nossa disposição em continuar fazendo o que acreditamos em nome da ciência e da boa formação e pesquisa, sendo também uma oportunidade para renovar as esperanças e ampliar reflexões, interações entre pesquisadores e portadores de chagas”, disse. Já Caroline acredita que a importância de ter o trabalho divulgado no caderno de resumos do Ciclo é “retirar a doença de Chagas de um viés de pesquisa puramente biomédico, aproximando pesquisadores renomados na área desta demanda atual e urgente do pensar ciência na escola, e o papel da escola na transformação ativa da sociedade em cenários de vulnerabilidade e manutenção das desigualdades”.